quarta-feira, novembro 26, 2008

Exposição e Encontro com artista
Lygia Eluf
Casa de Cultura UEL
Londrina, 22 de novembro de 2008
Curadoria Fernanda Magalhães

Esta série, inspirada em Albert Einstein, foi desenvolvida a partir de uma conversa com amigos físicos sobre o buraco negro e o quasar. O título o prolífero e o devorado, veio da conversa com outro amigo que estava lendo O casamento entre o céu e a terra, de Willian Blake. Num primeiro momento construí círculos com diversas impressões de tinta branca sobre o papel branco. Era como se aquele espaço fosse gradativamente acumulando uma grande quantidade de matéria. Em seguida iniciei as impressões em preto e repeti o procedimento. Quando o tecido gráfico estava se aproximando da saturação retornei ao branco. Essas camadas, devoradas pelo pequeno círculo aprisionado no papel quadrado, revelam a insistência das luzes em testar os limites desses círculos.
Lygia Eluf

Buracos Negros, Quasares, prolíferos, devoradores

Buracos negros são objetos intrigantes. Eles foram imaginados antes de serem observados. Isso é uma exceção no universo da ciência. O nome adotado para eles tem uma poesia desafiadora . Buracos negros. Os buracos negros são uma conseqüência do desenvolvimento de conceitos ligados à Teoria da Relatividade Geral. São objetos tão massivos que seu campo gravitacional atrai não apenas toda a matéria a sua volta, mas também toda a radiação eletromagnética. Nenhuma luz consegue escapar de um buraco negro.

Quasares são objetos intrigantes. Seu nome é a abreviatura em inglês de “fonte de radio quase estelar” (QUAsi-StellAR radio source). São fontes de energia eletromagnética do tamanho de estrelas (relativamente pequenas quando comparadas com galáxias) extremamente intensas. Os quasares são as fontes de luz mais intensas do universo. A energia necessária para essa emissão tão intensa só pode ser obtida com a colaboração de um buraco negro próximo. O quasar intercepta o fluxo de matéria para o buraco negro, a transforma em energia e a emite.

A proximidade e o paradoxo entre os buracos negros e quasares inquietou Lygia Eluf, a ponto de tirar-lhe o sono quando desafiada a expressar conceitos tão abstratos. Como representar essa contradição entre objetos tão similares e tão interdependentes?

A solução mostrada nessa exposição vai muito além de conceitos científicos. A forma com simetria circular parece querer saltar das gravuras buscando ganhar uma dimensão e tornar-se esférica. A cor usada com contenção traduz a angústia da luz que está condenada a não atravessar a fronteira. O contraste entre a míngua do buraco negro e a abundância do quasar.

Neste trabalho Lygia Eluf consegue atravessar a limitação imposta naturalmente pelas fronteiras dos seus buracos negros. Ela propõe Imagens que nos tocam e nos fazem pensar muito além da vã relatividade...
Leandro Tessler

quinta-feira, novembro 20, 2008

domingo, novembro 16, 2008

ARTE LYGIA ELUF

BURACOS NEGROS E QUASARES
Buracos Negros e Quasares é o trabalho da artista Lygia Eluf que estará em exposição na Casa de Cultura da Universidade Estadual de Londrina UEL a partir de 22 de novembro próximo. Breve irei postar o convite aqui neste blog.